terça-feira, 25 de dezembro de 2012

FELIZ NATAL



Idealista que sou, não poderia ter outro sentimento nesta dia que não fosse a alegria. Chegou o dia em que deixamos de lado as individualidades e nos sentimos na obrigação de valorizar o coletivo. É o dia que nos reunimos em família para troca de presentes e conversas longas e alegres. É o dia que lembramos os amigos e felicitamos vizinhos ou aqueles que pouco conversamos.
O espírito do Natal é o amor. O amor que nos leva a compreensão, fraternidade, solidariedade e tantas outras boas ações que são inspiradas na história do homem que a razão da existência desta festa, Jesus Cristo.
Desejo à todos os amigos e seus familiares muita paz e alegria nesta natal.


sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

O GORDO FICOU FELIZ!



O gordo ficou feliz, por todas as mensagens, ligações, saudações, abraços, beijos e bater de palma do dia do seu aniversário. O gordo agradece o carinho de amigos e familiares. Foi a primeira vez que o gordo passou seu aniversário junto de alunos. O gordo ficou feliz com o maior número de parabéns de toda sua vida. O gordo não chorou. Mentira, ele chorou. Chorou de felicidade.
O Gordo falou que vai tentar responder cada mensagem, uma por uma. O Gordo pediu para avisar que não ficará com raiva de quem esqueceu ou não teve tempo de felicitá-lo pelo seu aniversário. O Gordo também pediu para avisar que não ficará com raiva de quem não deu presente. O Mal educado esquece de presentear, não tem o direito de cobrar presente de ninguém.
O Gordo agrade cada presente. O Gordo agradece principalmente a amizade e o carinho que dispensam a ele. O Gordo diz que o melhor presente que pode receber é a certeza de ser amado. O Gordo avisa que continuará tentando fazer o melhor. O melhor para Gordo é fazer que outros fiquem felizes por ele e com ele. O Gordo diz: MUITO OBRIGADO!

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

FLAMENGO, VASCO E O VEXAME. SOU MAIS MEU CRB!


Os quatro grandes times de São Paulo terminarão o ano com pelo menos um título. Nos torneios internacionais, apenas os paulistas conseguiram vagas nas semi finais. Se o Corinthians vencer o mundial, terão ganhado todas as taças internacionais que disputaram em 2012. No Rio, tirando o Fluminense e o dinheiro da Unimed e o mediano Botafogo, não se sabe o que será de Flamengo e Vasco no próximo ano.
Times desorganizados, sem direcionamento político e econômico. Apesar do vexame em 2012, muitos torcedores rubro-negros ainda acreditam que o time é forte porque "É O MENGÃO". Não basta ter camisa, tem que ter organização.
No Vasco, Roberto Dinamite, o presidente que paga salários atrasados e justifica com o: "eu nunca recebi salário em dia como jogador". Termina o ano querendo tirar a estátua em homenagem a desafeto Romário. É político, Deputado Estadual no Rio de Janeiro. Não assusta que como boa parte dos políticos deste país, perde a noção entre o que é público e privado.
Desorganizados como estão, se bem que o Flamengo tem uma nova diretoria, se nada mudar, em poucos anos o Flamengo vai conhecer a segunda divisão e o Vasco, voltará à série B. E ainda tem gente que nos questiona por amar o que eles chamam de "porcarias de Alagoas." Se vocês não têm vergonha deste vexame constante que é o Flamengo, porque teríamos de CRB e CSA?

Wesley, respeita o Luiz.


Imaginar que este homem superou preconceitos terríveis, para com seu imenso talento, convencer o Brasil do valor de sua música e transformar este gênero musical, parte importante da música popular brasileira. Hoje, deixaram este maravilhoso gênero musical MUÍDO com os AVIÕES repleto de SAFADÕES que viajam o Brasil com sua música de baixo nível. Salve o mestre, poeta, Luiz Gonzaga.

NATAL EM FAMÍLIA



A reunião do Natal em Família foi maravilhosa, ainda feliz por esta noite. Mais um dia de profunda reflexão com a família sobre a nossas vidas e nosso papel. Sem esquecer do nome de Jesus Cristo, razão maior desses encontros.
O mais belo de nossas reuniões é que fazemos questão de ressaltar a felicidade de estarmos juntos sempre que possível. A vida em família é algo que se diferencia em cada lar, cada grupo familiar, mas sempre, quando fundamentada no amor, o espírito solidário impera e transforma. Amo minha família e como sei que este é o sentimento da maioria. Infelizmente, somos quase que obrigados a ler mensagens negativas onde paira a dúvida sobre a fidelidade entre amigos. Não compartilho este tipo de mensagem por ter amigos e uma família que prova que isso não é regra, mas exceção. A regra é que somos bons, nos amamos.
Perdão pelo texto meloso, cheio de clichês. Mas se não sentem vergonha de declarar que o ser humano não presta, não terei vergonha em declarar que amo meus amigos e minha família. Por isso, não tenho dúvida. O ser humano é mais bela obra de Deus.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

O espetáculo The Voice.


The Voice é excelente, reality show que prestigia o talento. Neste programa, não importa se o candidato atende ao perfil do rosto bonito, branco e esbelto. O que vale é o talento, não a edição que favorece ou ser ou não queridinho do apresentador prolixo. Em todos os quesitos o Big brother é o oposto da excelência que tem o The Voice. Big brother é uma m..
Serão sete mulheres, um homem na final. Quem julga, não se importa com a cor da pele, condição social ou orientação sexual do participante. O resultado é o da emoção, os números indicam quem mais cativou o público. Esta é a função do músico, do artista. Independente do resultado, a competição não é levada como uma disputa que diminua o oponente, humilhação pública e conchavos para destruir outro grupo. Esta pobreza de espírito, passa longe do programa musical da Globo. 
Um programa excelente, cativante, emocionante. Não ficamos tristes, mas emocionados a cada edição. Que venha a final e que vença o melhor. Quem quer seja o vencedor, o telespectador brasileiro já ganhou uma ótima opção de entretenimento. Em janeiro, infelizmente, voltam com a porcaria. Que caia um novo muro e que o prolixo, procure fazer seus versinhos sem sentido em outra freguesia. Aproveita e leva seus heróis, Bial. Não precisamos disso!
Vou torcer por Ellen Oléria. 

O minha casa, minha vida do torcedor.

http://globotv.globo.com/rede-globo/esporte-espetacular/t/edicoes/v/gremistas-se-emocionam-na-despedida-do-estadio-olimpico/2285139/

Só entende o que é isso quem vai para arquibancada torcer pelo seu time. Quem ver seu time pela televisão, se emociona, mas não tem a verdadeira medida do que é para um torcedor saber que não voltará para sua casa, terá que se adaptar a uma nova morada. Isso é parte importante do futebol. 
Nos vimos em cada rosto gremista como fossemos um deles. Sentimos isso por entender o que eles estavam sentido ao se despedir do Olímpico. Quem prefere a frieza da televisão, seja em casa ou na mesa de bar, se emocionou, mas acreditem, não sabem o que eles estavam sentindo. Vocês, podem acreditar, não sabem o que é ser torcedor de verdade. Quando meu time joga, minha casa, é o estádio de futebol.

domingo, 2 de dezembro de 2012

Pai, afasta do Brasil esse "cálice"!

José Maria Marin discursando na entrevista coletiva.
0 craque Ronaldo, fenômeno também na publicidade. Infelizmente, na propaganda que desrespeita o direito de questionar.

video


Na entrevista coletiva que apresentava o novo treinador da seleção brasileira de futebol, Luis Felipe Scolari e o coordenador técnico, Carlos Alberto Parreira, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, o "Zé das Medalhas", tomou o microfone para discursar de maneira ufanista, bradando o espírito patriótico. O amor a pátria do mandatário da CBF segue a nada saudosa cartilha do regime militar do "Brasil, ame-o ou deixe-o". 
Marin iniciou sua carreira política como vereador pelo Partido de Representação Popular (PRP), criado por Plínio Salgado, o mesmo da Ação Integralista Brasileira dos anos 30. Nos anos 70, foi deputado estadual pela Aliança Renovadora Nacional (ARENA), partido de sustentação do Regime Militar. Foi vice-governador de São Paulo, o titular era o governador biônico Paulo Maluf. Ainda tem em seu currículo a infeliz frase direcionada ao diretor de jornalismo da TV Cultura, Vladimir Herzog, quando disse: "vem verificando os fatos negativos, pois não se vê nada de positivo, apresenta apenas miséria, apresenta problemas, mas não apresenta soluções" ... "é preciso mais do que nunca uma providência, a fim de que a tranquilidade volte a reinar não apenas nesta casa. Mas, principalmente, nos lares paulistanos." Percebe-se que o nobre presidente seguia muito bem o ideal repressivo e de combate a quem diverge de seus conceitos.
Voltando ao seu atual posto, na entrevista coletiva, como vocês podem ver no vídeo, Marin exalta sua decisão ao mesmo tempo que condena aqueles que não concordam com sua decisão de demitir Mano Menezes e contratar, Felipão, como anti-patriotas. Ao assistir, um arrepio que não foi de entusiasmo pelo discurso, mas de pavor de notar que infelizmente, o patriotismo dos militares, baseado no combate a quem diverge. Será que ele ainda não aprendeu que vivemos outro tempo, onde divergir é parte da liberdade que o regime de exceção que apoiava cerceou? Esqueceu Marin que os brasileiros gozam do sagrado direito à liberdade de expressão? Creio que sim.
Não bastasse a ridícula campanha publicitária da Brahma que chama os brasileiros que cobram equilíbrio e o bom uso do dinheiro público e por extensão, cumpra-se as obras programadas para a Copa do Mundo de pessimistas, agora este triste discurso. Se hoje, dois antes este discurso inflamado e propagandas enganosas de falso patriotismo nos enchem, imagina na Copa? Pai, afasta do Brasil esse "cálice"!



Comoção, oportunismo, loucura, besteira, infelicidade, alegria, sensacionalismo. São muitas palavras, negativas ou positivas, todos têm alguma opinião ou sentimento para a história do menino que vendeu a bicicleta para torcer pelo CSA. Não por preferência, com certeza influenciado pelo espírito de torcedor e amante do maior de todos esportes e acima de tudo, alagoano, fico com a turma que encarou o fato com um misto de comoção, alegria e satisfação pela nobreza da torcida azulina e principalmente pela demonstração de carinho e amor pelo clube do pequeno marujo.
Sou regatiano, vermelho e branco puro, não torço pelo CSA. Mas no dia que o Morumbi recebeu a seleção brasileira e uma plateia de pessoas que pouco entendem do privilégio de ser torcedor, este menino que abdicou do objeto dos sonhos de toda e qualquer criança para fazer parte da massa azulina que apoiará seu clube no domingo é exemplar e precisa ser compartilhado. O menino mostrou o que é ser torcedor. O CSA joga a quarta divisão do futebol brasileiro, mas para ele e muitos torcedores do azulão, pouco importa, o CSA vai jogar. Mais importante que o campeonato que disputa ou títulos que tenha o time, é ter um time para torcer. Nossos dirigentes, infelizmente, exploram nossa paixão e abusam do direito de desrespeitar seus torcedores. Azulino, regatiano, alvinegro não importa. Hoje, o pequeno marujo é expressão do amor de cada torcedor por seu clube.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Show de Gessinger




Não gosto de diminuir o trabalho de ninguém, não tenho esse direito. Mas ouvindo Humberto Gessinger é impossível não comparar suas belas canções com as que são exaustivamente empurradas goela abaixo dos brasileiros diariamente em programas de rádios e televisão. Música de baixo nível, com letras e harmonia simples, repetitivas e barulhenta, sem nenhum motivo para meditação ou que provoquem o mínimo de emoção positiva a quem escuta. O contrário desta miserabilidade musical, toca e canta, Humberto Gessinger. Não é música para fãs de um gênero musical ou de uma banda, cantor ou momentos. Não é música ocasional, é música para ser ouvida por quem gosta da vida. Vale a pena ouvir!!!

TRISTE INTOLERÂNCIA!




Quando criticam os católicos de arrogantes, intolerantes ou algo parecido é dolorido. Sou católico e não gosto de ouvir e tento muitas vezes explicar algum erro de interpretação sob
re algumas posições da Igreja. Mas quando leio e vejo mensagens como esta, é muito mais dolorido por saber que alguns momentos, as críticas tem fundamento. Protestante não é menos inteligente que católicos ou vice versa, apenas entendem Cristo de uma maneira diferente e merecem todo o respeito. 
É repugnante que em uma sociedade cada dia mais idiotizada, os seguidores do homem que é o maior exemplo de amor da humanidade ainda percam seu precioso tempo e a oportunidade de construir a unidade entre  pessoas, independente de denominação religiosa, com mensagem que diminuem não os criticados, mas todo aquele que recebeu de Deus o dom vida. 
Aos amigos evangélicos, saibam que a maioria dos católicos não tem participação nesta mensagem estúpida.

domingo, 22 de julho de 2012

O jogo da minha vida!




Eu assisti o histórico Santos 4 x 5 Flamengo na Vila Belmiro. Sou um amante do futebol, fiquei empolgado com aquele inesquecível jogo da Vila. Muitos alagoanos dizem que não torcem por nossos times ou mesmo torcendo, não valoriza, não têm a grandeza do Flamengo. Outros, como nós, mesmo os que torcem por times de fora do estado, valorizam, estimam nossos times. Não se importam com nossa pequenez diante dos grandes times, o que importa é ter um time para torcer.
Eles torcem por times com vários campeonatos nacionais, continentais e mundiais. Nós, torcemos por um time que dificilmente conquistará algo próximo disso. Mas temos uma grande vantagem, somos torcedores de verdade, participamos ativamente do jogo.  No dia 21 de julho de 2012, o nosso gigante, Clube de Regatas Brasil, fez história. Virou um jogo que perdia por 3x0. Amigos regatianos de arquibancada, eles viram os 5x4 do Flamengo, nós participamos do 4x3 do CRB.
Quando o Thiago Bezerra perdeu dois gols, ouvia nossas vozes reclamando e alguns, vaiando. Antes das faltas, Geovani nos ouviu gritando o seu nome e junto com ele, nossos olhos empurravam a bola para o fundo do gol. O que dizer do momento que nosso ídolo Aloísio sofreu um falta desleal do adversário e todo mundo se levantou como avisando ao zagueiro: "Não bata no Aloísio. Olha o tamanha da família dele"!? Não sei como, mais Elsinho ouviu cada um dos milhares de regatianos pedindo: “Chuta, Elsinho”!
Se escrevo este texto logo depois do jogo teria xingado os alagoanos que não entendem nossa paixão. Hoje, mais calmo, mas ainda sem conseguir deixar de lembrar do jogo, prefiro exaltar o grande momento que vivenciamos no Rei Pelé. Agradeço aos heróis que lutaram por esta virada histórica. A raça e a técnica do nosso ídolo, a categoria do Mágico Geovani e a habilidade do garoto Elsinho foram essenciais. Mas em um jogo como esse, todos são importantes.
Regatianos e amantes do futebol. É claro que a imprensa nacional não colocará este jogo em seu devido lugar. É compreensível, a série B e o nosso time não tem o mesmo apelo popular que os grandes times do nosso país. Não importa. O importante é o que cada um de nós guardará na memória deste jogo magnífico. Cada regatiano tem um jeito próprio e tão emocionante quanto o de qualquer outro de tentar explicar o inexplicável e histórico, CRB 4 x 3 JEC.
Aos alagoanos que preferem torcer por grandes times pela televisão, não vou condenar. É um direito deles e se assim são felizes, mesmo sem entender, respeito. Como vocês, prefiro participar. Não vamos falar mal, desrespeitá-los. Eles estão condenados a morrer sem saber o que é ser um torcedor de verdade.


quinta-feira, 19 de julho de 2012

Hoje é dia de futebol. Nosso dia!



Dizem que somos bestas, não é verdade. Na verdade, somos loucos. Os torcedores desfrutam de um espírito solidário. Não ganhamos medalhas, não levantamos a taça, tão pouco recebemos algum benefício monetário por nossa participação no jogo.Torcedores são seres humanos que aceitaram ficar feliz ou chorar, atribuir a ele algo que não lhe pertence. As consequências vitória ou derrota pertencem aos atletas e treinadores, mas em nome do amor por nossos times, aceitamos passar por todo esse turbilhão de emoção. Tem que ser louco para aceitar passar por tudo isso sem nenhum centavo em troca.
Nos chamam de bestas, babacas, por não entender esta paixão. Não reclamem, eles não sabem o que estão perdendo. Tem gente que gosta de futebol e pensa que o importante é torcer por um time com chances para ganhar um importante título internacional. Estes, em sua imensa maioria, não sabem o que é ser torcedor de verdade. Não sabem o que é uma arquibancada, vivem o futebol apenas pela tela da televisão. Mais importante que torcer para um grande campeão, é ter um time para torcer. 
Mas hoje, é dia de todos que amam este esporte. Dia de parabenizar do tipo de torcedor. Torcedor de rádio, de televisão ou de arquibancada. Dia de parabenizar a imprensa esportiva, dirigentes sérios e comprometidos com o futebol, departamento técnico, gandulas, árbitros e assistentes, craques, pernas de paus, timaços, times de usinas, peladeiros. Hoje é o nosso dia. Hoje é o dia do futebol!

terça-feira, 3 de julho de 2012

Lamúrias de um chato. Ele têm amigos!






Ando perplexo com a certeza de que não sou normal. Muitos dizem que ninguém tem amigo e amizade de verdade só encontramos em nossas famílias. Tenho provas concretas de que não sou normal. Sou muito chato, o que dificulta ainda mais ter amigos. Não assisto novelas, não me preocupa quem perdeu ou ganhou do Big Brother ou A Fazenda, não gosto maioria das coisas que passam na Globo, não vou a shows de forró, pagode, Ivete ou do Chiclete. Considero as músicas do Forró dos Plays e do Aviões de péssimo gosto, sou louco por futebol, principalmente pelo CRB, não torço sempre contra a Argentina, sou ligado  por política,não bebo nenhum tipo de bebida alcoólica e mesmo assim, tenho amigos.
Minha grande amiga, Raquel Torres um dia disse a seguinte frase. "Irmãos são grandes amigos que a vida nos presenteou. E amigos são grandes irmãos que a vida também nos presenteou." Além de chato, sou bobo. Não tenho poucos amigos, são muitos. Para não ser injusto, não revelarei os nomes, eles sabem e isso é o que importa. Como posso confiar em tantas pessoas? Ensinam por aí que você não deve confiar em ninguém.
É melhor ir a um psicanalista o mais rápido possível, não sou normal. Dizem que não existe amizade entre homens e mulheres. Acreditem, tenho muitas amigas. Olha que loucura, adultos casados também considero  amigos. Otávio e Betânia, Will e Su, Jorge e Telma, Gilvan e Socorro, Ronaldo e Bete e muitos outros.
Não sei se aqueles que considero meus amigos me tem como amigo na mesma medida e nem se me consideram um amigo. Não tenho o direito de cobrar deles o mesmo que sinto e ofereço motivos para isso. Não dou presentes, não ligo ou deixo mensagens no dia do amigo e tão pouco, chato que sou, saio para tomar uma no fim de semana. Mas este é Marcos Francisco Santos. É o que posso oferecer, não consigo ser diferente.
O texto foi criado em homenagem aos meus amigos, mas também para que os leitores reflitam e aceitem que também são loucos e tem amigos. 

A vida não é uma novela. Tenho família!




As novelas, quase que uma obrigação para os brasileiros, insiste na concepção de que a família é instituição em processo de falência. Graça a Deus, graça a ele mesmo, minha família e acredito que muitas outras não estão incluídas neste contexto. Até o ótimo seriado humorístico A Grande Família, entrou no processo de fritura da boa relação familiar. Os fãs, dizem que eles só mostram a realidade. Se for verdade, desejo que apresentem minha família aos autores de novela.
Nossa família tem todo tipo de gente. O que ganha mais e o que ganha menos. O que teve oportunidades de concluir seus estudos e os que não tiveram. Assim como todos os seres humanos, somos diferentes uns dos outros. Vivemos nossas vidas, temos diferentes vontades e preferências. Mas somos homogêneos na vontade de se reunir em família.
                Esta família já agrega amigos que sentiram que o amor é sentimento que reina e nos faz sentir prazer de estar reunidos por qualquer motivo. O espírito solidário e o respeito aos outros é outro grande exemplo desta família. Uma família que não se identifica com as famílias de novelas. Nos identificamos com famílias reais, aquelas que conhecemos. Famílias de homens e mulheres que trabalham, sofrem e se alegram.  Esta é a minha família e tenho certeza, assim também é a sua querido leitor e querida leitora.
É por estes e outros motivos que posso afirmar sem nenhum medo de errar: Como é bom ter família!

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Não compartilhe mentira e intolerância!

A mentira sem fundamento!
A placa da intolerância

Graças a Deus, vivemos em um país onde a liberdade religiosa é garantida aos cidadãos. Assim como a liberdade de expressão, permitindo aos brasileiros expor suas ideias publicamente. Como aconselho aos meus alunos, aconselho aos amigos que antes de partilhar qualquer informação, procurem saber a verdade sobre o fato para não se sentir mais envergonhado do que a pessoas ou instituição que criticou com suas mensagens. Fazer relação da pobreza no mundo com a cadeira do Papa, que nem sei se é de madeira ou de ouro, é irresponsável.
 A igreja católica, apesar de seus erros, inclusive os exageros nos gastos não apenas no Vaticano, mas em muitas paróquias, combate com louvor este mal que é a fome. Espalhar a imagem do Papa em sua cadeira, questionando a preocupação da igreja com a miséria não é opinião, só mais um caso de sensacionalismo barato, já que não vem acompanhando de nenhuma fonte que permita uma mínima discussão sobre o fato. Precisamos tomar cuidado para não dar razão aos que possam nos chamar de hipócritas em casos como este. Combater a fome não é responsabilidade apenas do Papa e da Igreja que ele lidera, mas de todo homem e mulher consciente de sua responsabilidade e da sua condição de ser humano.
O texto não se trata de uma defesa do catolicismo e do Papa. Nasce da preocupação como as constantes mensagens sem fundamentos como esta que cada dia se espalham pela internet e se tornam verdades de tão repetidas. Tão errado como quando alguns católicos, compartilham a campanha medíocre de diminuir a importância dos cristãos não católicos por conta das placas com os nomes destas igrejas.
A             credito que assim como temos liberdade de expressão e religiosa, temos o dever  de respeitar toda e qualquer instituição. Não que as igrejas e pessoas estejam livres de qualquer crítica. Sou católico, e tenho minhas críticas contra algumas ações da Igreja. Mas não posso ser irresponsável espalhando informações sem uma devida pesquisa sobre a veracidade da informação. Tão pouco, inflamar a intolerância.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Time da Tática x Time dos craques – I Capítulo




               O futebol é empolgante por sua imprevisibilidade. Não adiante, mesmo no duelo do melhor contra o pior, resultados surpreendentes acontecem. O Corinthians não tem craques, mas compensa com o excelente trabalho do contestado Tite que faz do Timão o time mais bem armado do momento no futebol brasileiro. Solidário, o time assume sua condição e não se intimida em defender. Faz isso com maestria.
                O Santos têm jogadores de melhor nível que o Corinthians. Tem um bom time, o craque Neymar e o excelente Ganso. Os dois podem fazer a diferença e dar ao Peixe mais uma oportunidade de disputar a final da Libertadores.
                O Corinthians venceu a primeira, tem uma boa vantagem, mas continua longe de uma definição o resultado final desta semi-final. Agora, é torcer por mais um bom jogo no Pacaembu. Com o apoio do “bando de loucos”, o Corinthians domina os adversários e ainda não sofreu nenhum gol neste campeonato. Neymar costuma ser decisivo pelo Peixe em momentos de decisão. É esperar é ver quem será o representante do futebol brasileiro na final da Libertadores.

NOTAS:
ü  Começam as reclamações contra Neymar. Até parece que em outros momentos o novo gênio da Vila não mostrou que é a melhor coisa que apareceu no futebol brasileiro depois de Ronaldo.
ü  Ralf e Paulinho formam a melhor dupla de volantes do futebol brasileiro. Mano pode utilizá-los na seleção.
ü  Acaba a energia na Vila e no ataque no Corinthians. Acreditar que foi proposital não é absurdo. Infelizmente, o amadorismo e falta de espírito esportivo, muito valorizado na Libertadores, permite esse tipo de interpretação. Não acredito, mas não duvido.

Imagem: Lancenet.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

MARCELO FREIXO, GRANDE HOMEM!

A indicação seria para os meus alunos para um debate sobre a política no Brasil. Mas este homem, Marcelo Freixo, merece ser exaltado e ter suas ideias propagadas. Invejo os cariocas pelo grande representante que escolheram.
Vale a pena assistir e conhecer a realidade sobre a situação política do Rio de Janeiro e a verdade sobre os custos e legado da Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.


http://www.youtube.com/watch?v=8h2TmfksxbQ&feature=channel&list=UL

http://www.youtube.com/watch?v=wfdyDp9izT0&feature=channel&list=UL

http://www.youtube.com/watch?v=ZJhrdfAdVs8&feature=channel&list=UL

http://www.youtube.com/watch?v=EJGau_BKdnw&feature=channel&list=UL

http://www.youtube.com/watch?v=rZ1Nlob0Bd0&feature=channel&list=UL

sexta-feira, 8 de junho de 2012

EJC e o eterno aprendiz!


 


Quem nunca participou ou se quer ouvir falar no Encontro de Jovens com Cristo (EJC), por favor, em suas orações agradeçam a Deus pela existência deste movimento Cristão. Nele, jovens se reúnem para chegar ao que considero ser o mais próximo da plena felicidade. Não vou usar da utopia de que o EJC é perfeito que não temos problemas de relacionamento, graças a Deus existem. Este grupo é formado por várias espécies especiais da mais bela e obra do Pai todo-poderoso, seres humanos. Homens e mulheres que comungam do mesmo anseio: Aprender a amar.
                O amor, sentimento erroneamente reduzido a afeição entre duas pessoas que namoram, nos conduz a solidariedade. Neste encontro, somos solidários as alegrias e dores de todos que dele participa. Nos permitimos amar e perdoar. O EJC ensina que podemos ser melhores e que o respeito às diferentes formas de interpretar e conduzir a vida, são essenciais para aprender a viver em comunidade, em sociedade.
                Hoje, não estarei participando. A vida nos obriga a fazer escolhas e às vezes, mesmo dolorida, necessárias, por respeito ao que acreditamos. Posso afirmar que neste momento sinto um misto de alegria e tristeza. A alegria de saber que mais 45 jovens estarão participando de mais um Encontro de Jovens com Cristo e a tristeza de não participar diretamente deste encontro. Não escondo a paixão que sinto pelo EJC e assim. Enquanto participei, errei e acertei, tudo com o único objetivo de fazer o melhor pela Igreja através deste movimento. Trabalhar pela Igreja, significa trabalhar por pessoas, o melhor e mais prazeroso trabalho.
                Agradeço a atual equipe dirigente pelo convite para trabalhar neste encontro. Infelizmente, tive que negar. O evento  que me levou a negar o pedido, não vai acontecer. Ficarei em casa, vivenciando a contradição da tristeza pela ausência e a alegria da oração pelo bom andamento do encontro e as recordações de maravilhosos momentos que o EJC proporcionou.
                Não existe uma pessoa com o nome de EJC. O Encontro de Jovens com Cristo é formado por pessoas. Homens e mulheres, dignos representantes do amor de Deus. Não esqueçam que vocês são à razão da existência deste movimento. Foi neste encontro que meu grupo de amigos que todos sabem que são, mas não quero citar nomes, posso cometer alguma injustiça, ganhou forma e hoje, extensão da minha família. Outros irmãos e irmãs não imaginam a importância que têm em minha vida, mesmo que o nosso contato tenha sido pequeno. Neste movimento, isso é natural, porque lá, aprendemos que nada seremos sem o amor.
                Tiver a sorte de construir apenas amizades, apesar de algumas diferenças em alguns momentos. Peço perdão aos que de alguma forma magoei com alguma opinião ou brincadeira que acreditem, foi sem nenhuma intenção de diminuí-los. Todos que vestem a camisa branca e preta, simples e bela, sabem  o verdadeiro sentido do que amar e ser amado. Que Deus abençoe a todos neste encontro!